Páginas

Postagens populares

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

MITOS E VERDADES PARA DIABÉTICOS



Nos últimos 50 anos, o Brasil apresentou aumento da expectativa de vida, redução da mortalidade infantil, diminuição do número de nascimentos, aumento da população urbana e do poder aquisitivo. Estas alterações levaram a redução da mortalidade por doenças infecciosas e aumento das doenças crônicas não transmissíveis, como o diabetes, hipertensão e obesidade.
Também resultante de mudança de fatores econômicos, demográficos e culturais ocorridos nas últimas décadas, foram observados mudanças do estado nutricional, devido às modificações do estilo de vida, alteração da qualidade da dieta e inatividade física. Essa inadequação alimentar é uma das principais causas de risco a saúde. Surgiram com essas mudanças diversas dúvidas e mitos sobre a alimentação de pacientes com diabetes.
Os mitos estão sempre presentes no imaginário da população, especialmente quando se fala em problemas crônicos, como o diabetes. No entanto, a falta de orientação e informação correta pode levar a pessoa a cometer alguns enganos. Por isso, as dúvidas devem ser tiradas com médicos e nutricionistas. Saber a verdade sobre o diabetes é fundamental para o bom controle da glicemia. Sendo assim aqui vão as verdades sobre alguns dos mitos mais freqüentes.

MITOS E VERDADES
1. MITO: As pessoas com diabetes não podem comer beterraba.
VERDADE: As pessoas com diabetes podem consumir beterraba, pois é classificado como vegetal contendo boa fonte de fibras, vitaminas e minerais e poderá fazer parte da dieta, elaborada pelo nutricionista.

2. MITO: As frutas como banana, uva, caqui, manga e melancia, devem ser excluídas da alimentação das pessoas com diabetes, pois aumentam muito o açúcar no sangue.
VERDADE: As frutas são ricas em vitaminas, minerais e fibras e contêm o açúcar natural (frutose e glicose). Quando consumidas em quantidades adequadas e distribuídas corretamente ao longo de um dia de alimentação, não prejudicam a saúde da pessoa que tem diabetes, entretanto se consumidas em excesso qualquer fruta poderá aumentar a glicemia.

3. MITO: Fruta faz bem a saúde e por isso pode-se comer a vontade
VERDADE: A fruta possui diversos nutrientes, incluindo a frutose e glicose que em excesso poderão aumentar a glicemia.

4. MITO: As pessoas com diabetes devem comer pão somente dormido ou amanhecido ou torrado porque não faz mal para o diabetes
VERDADE: O pão francês é um alimento que faz parte da dieta do brasileiro, constituindo uma importante fonte de carboidrato na alimentação. O carboidrato é o nutriente que mais afeta sua glicemia, pois quase 100% é convertido em glicose (açúcar). Assim não importa a forma de preparo ou de consumo do pão, um pão francês de aproximadamente 50g terá sempre 28g de carboidrato, estando ele torrado ou dormido. Portanto consuma a quantidade orientada pelo seu nutricionista e da forma que mais gostar.

6. MITO: Para diminuir o carboidrato do arroz, basta lavá-lo continuamente.
VERDADE: Lavar o arroz ou qualquer outro alimento não diminui o conteúdo de carboidrato do mesmo.

7. MITO: A pipoca é um alimento perigoso para as pessoas com diabetes
VERDADE: A pipoca é um alimento de baixo custo, rico em fibras, contribuindo com a saciedade e melhores níveis de glicemia e colesterol- alimento rico em fibra, logo um ponto positivo para redução de glicemia e de colesterol. Por ser fonte de carboidrato deve ser substituído pelo pão, onde: 01 xícara de milho pipoca estourada equivale a ½ Pão francês ou 01 fatia de Pão forma.

8. MITO: A pessoa com diabetes não pode comer pão francês, cuscuz ou tapioca, tem que trocar tudo por biscoitos tipo água e sal ou “cream cracker”.
VERDADE: As pessoas com diabetes podem comer pão francês, cuscuz e tapioca, devendo estes alimentos ser inseridos em um plano alimentar saudável. Não é recomendável utilizar apenas um tipo de alimento, pois haverá menor proporção de nutrientes e risco de monotonia.

9. MITO: Para reduzir o carboidrato do pão basta deixá-lo fora da geladeira por de 1-2 dias e assim a pessoa com diabetes poderá comer á vontade sem que a glicemia se altere.
VERDADE: O pão ou qualquer outro cereal fermentado na geladeira ou fora desta, não tem seu teor carboidrato reduzido. Portanto procure seguir as recomendações do seu nutricionista em relação a quantidade e forma de consumo dos alimentos.

10. MITO: Todas as pessoas com diabetes devem seguir uma dieta para “diabetes”, com restrição de calorias, para atingir melhor controle glicêmico
VERDADE: Não existe uma dieta específica para quem tem diabetes, pois as necessidades nutricionais destas pessoas são semelhantes à da população em geral. O plano alimentar, elaborado pelo nutricionista especialista deve considerar a avaliação do estado nutricional para definição das calorias, macro e micro nutrientes, baseados nas necessidades individuais, objetivos de tratamento, utilizando parâmetros semelhantes aos do público em geral.

11. MITO: Comer antes de dormir engorda, principalmente se for carboidrato.
VERDADE: A quantidade de calorias ingeridas é que faz com que o peso se eleve. Se o consumo de energia for maior que o gasto, aí sim haverá ganho de peso.

12. MITO: Diabético não pode comer arroz e feijão
VERDADE: “Diabético pode comer arroz e feijão.” Durante muitos anos, algumas crenças foram criadas sobre a ingestão de arroz e feijão. Alguns diziam “engorda”, outros que “diabético não pode comer”, porém, sabemos hoje que principalmente o feijão é um dos alimentos mais ricos em fibras solúveis, além do amido resistente (outro tipo de fibra) e faz parte do hábito alimentar do brasileiro. A presença desse tipo de fibra torna a digestão mais lenta, importantíssimo para menor elevação da glicose no sangue. Outro aspecto relevante é a saciedade que o feijão proporciona resultado desse mesmo processo de digestão.

13. MITO: Produtos “Diet” são feitos para diabéticos e podem ser consumidos a vontade.
VERDADE: De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) pode ser chamado de alimento diet aquele que é isento de algum nutriente, nem sempre ele é isento de carboidrato, pode ser em gordura ou sódio por exemplo. Podemos citar como exemplo o chocolate, algumas marcas apresentam maior teor de gorduras e pouca ou nenhuma diferença em carboidrato, ou seja, nem sempre o chocolate diet é a melhor escolha. Para boas escolhas sempre devemos comparar os rótulos dos alimentos, em caso de dúvidas sempre consulte um nutricionista
http://nutricao.diabetes.org.br/mitos-e-verdades

TARTE DE CAFÉ PARA DIABÉTICOS - MICROONDAS

INGREDIENTES
Para o Creme:
• 200 g de açúcar
• 5 folhas de gelatina incolor
• 350 ml de leite
• 3 ovos
• 2 gemas
• 1.1/2 colheres de sobremesa de café solúvel
• 100 ml de natas
• 1 colheres de sopa de farinha Maisena
Base:
• 200 g de bolacha Maria
• 250 ml de natas
• 2 colheres de sopa de açúcar em pó diet
• 1 colheres de sopa de manteiga
• 1 ovos
• 1 colher de sobremesa de whisky
• Cerejas, o quanto desejar
• Canela, em pó o quanto gostar

Preparação:
Aquecer o leite com as natas durante 3 minutos. Misturar o açúcar com a maisena, as gemas, os ovos e o café e mexer bem. Juntar o leite quente, envolver e levar ao micro-ondas durante quatro minutos na potência máxima. Dissolver a gelatina em água fria durante cinco minutos. Escorra-la e junta-la ao creme anterior. Mexa até dissolver por completo e deixe arrefecer.
Em seguida, prepare a base:
picar as bolachas na picadora, juntar a manteiga e o ovo. Amassar bem e forrar uma forma para tarte, previamente untada com manteiga. Reservar no freezer durante 15 minutos. Bater as natas, junte-lhes o açúcar e o whisky e bater. Envolver no creme anterior e verter na forma. Levar ao freezer durante cerca de trinta minutos.
Transferir para a geladeira e deixar solidificar por seis horas. Antes de servir, decorar com as cerejas passadas por açúcar e polvilhar com canela.

domingo, 8 de agosto de 2010

OITO ERROS NA COZINHA

Para ajudar a lembrar erros que podem muito bem ser evitados !


1° erro - Lavar as carnes debaixo da torneira.

Em primeiro lugar você vai perder nutrientes e a carne fica esbranquiçada.

Em segundo lugar a contaminação que existe vai aumentar, porque aumenta a quantidade de água e as bactérias vão penetrar mais ainda.

A única carne que se lava é o peixe e só para tirar escamas e a barrigada.


2° erro - Colocar detergente direto na esponja, o que leva ao exagero.

O detergente nunca deve ser colocado direto na esponja. Vai ser muito difícil enxaguar todo esse detergente. O resto de detergente que fica junto com os alimentos pode no futuro dar um problema para a sua saúde. Para limpar sem exagero, você precisa apenas de oito gotas de detergente em um litro de água.

3° erro - Usar tábua de carne de madeira.

Na tábua de madeira, as bactérias vão adorar ! Tábua tem que ser de plástico ou vidro.


4° erro - Guardar comida quente na geladeira.

Este é um dos um dos mitos mais difundidos entre as donas de casa. Nãotem problema em guardar comida quente na geladeira. O único problema é que vai aumentar um pouquinho o consumo de energia, as não vai estragar a geladeira de modo algum.


5° erro - Guardar comida quente na geladeira com o recipiente tampado.

O ar frio vai bater na tampa. Vai demorar muito para resfriar e as bactérias vão adorar! Então, coloque tudo destampado, depois de duas horas pode fechar.

6° erro - Furar a lata de leite condensado e utilizá-la várias vezes.

Costumam pegar a lata de leite condensado e fazer dois buraquinhos, um de cada lado? Pois é, sabia que sai leite condensado por um lado, mas, pelo outro, entra uma porção de bactérias?

O correto será então abrir a lata inteira e passar o leite condensado para um recipiente que pode ser de plástico ou de vidro. Servir sempre com uma colher e depois tampar e guardar na geladeira.


7° erro - Ignorar as formigas.

Quando se fala em doce, não pode esquecer as formigas. Você provavelmente não se importaria se encontrasse uma formiguinha em cima do seu bolo, não é? Pois fique sabendo que as formigas são consideradas até maiores agentes transmissores de bactérias do que a própria barata.

Doce com formiga só pode ter um destino, a lata de lixo.


8° erro - Soprar velinhas do bolo de aniversário.

Este é um péssimo e mau hábito, pois o bolo fica contaminado por bactérias de saliva. Essas bactérias produzem uma toxina que podem ocasionar aquelas intoxicações com 24 horas de vomito e mal-estar.

Evite, também, deixar o bolo fora da geladeira.



sábado, 10 de julho de 2010


Raras são as pessoas que resistem a um chocolate. Ele vem de mansinho, com aquele aspecto apetitoso que só dá vontade de devorar, não consegue lhe resistir e... Zás!

Lá vai uma tablete inteira de chocolate!


Na verdade, branco, negro, em bolos, em mousse, ou na forma de outros doces, o chocolate faz as delícias de todos, mas deve haver um esforço por parte daqueles que o apreciam bastante para reduzirem seu consumo, embora não haja necessidade de cortarem completamente com ele. Se consumir chocolate de forma moderada, sem abusar e se não o fizer a todas as horas do dia, não haverá problema de maior para com a sua saúde. Se está a fazer dieta, pode mesmo comer um ou outro pedaço.
A ideia de que o chocolate apenas tem uma função prejudicial à nossa saúde é totalmente falsa. Tal como os restantes alimentos que consumimos, e que não devem ser ingeridos em grandes quantidades, o chocolate também se torna prejudicial somente quando é consumido mais do que o limite. Na realidade, o chocolate contém em si características muito positivas que condicionam um bom funcionamento do seu coração. Esses benefícios, provêm de uma substância existente no mesmo, que se encontra também nos legumes e em algumas frutas. Portanto o chocolate só atinge problemas alarmantes quando ingerido em doses exageradas. O que é realmente importante é comer na medida certa e não exagerar em nenhum alimento. Assim, alcançará a linha que deseja, sem esquecer, como é lógico, o exercício físico!
Por essa razão aqui vou enviar para vossa delicia uma mousse de chocolate bem rápida e deliciosa!


MOUSSE RÁPIDA DE CHOCOLATE


INGREDIENTES
250 grs. de Chocolate para Culinária ralado
6 colheres de sopa de água a ferver
4 ovos
2 colheres de sopa de Rum
raspas de chocolate que achem necessário
cerejas em calda para adornar

MODO DE FAZER

Coloque o Chocolate no liquidificador para bater um pouco.
Acrescente a água a ferver e bata até obter um creme homogéneo.Junte as gemas uma de cada vez e o rum, bata por mais 1 minuto e reserve.Bata as claras em neve firme.
Junte a mistura de chocolate aos poucos as claras, mexendo cuidadosamente, sem bater até que todo o branco das claras desapareça.Distribua a mousse por taças individuais. Leve à geladeira até ficar firme.Sirva decorada com raspas de chocolate e uma cereja.


Espero que se deliciem sem culpa!

PRAZO DE VALIDADE DOS ALIMENTOS: ESCLAREÇA SUAS DÚVIDAS!

Faz mal à saúde, comer um iogurte cujo prazo de validade expirou no dia anterior ?
Quanto tempo posso guardar a maionese no refrigerador depois de aberta?
O chocolate esbranquiçado está estragado?

A menção do prazo de validade na embalagem é obrigatória. Apenas os produtos hortícolas frescos sem processamento estão dispensados desta obrigação, tendo no entanto de exibir a data em que foram embalados. Obviamente, o principal objectivo é garantir a segurança do consumo, mas não só. O prazo também garante características comerciais como o sabor, cor ou textura, que o fabricante assegura que se manterão estáveis durante o período indicado. Depois da data indicada no rótulo, o alimento não está forçosamente estragado mas pode não corresponder aos parâmetros de qualidade da altura da compra.
Claro que consumir alimentos fora do prazo de validade deve ser a excepção e não a regra, mas nem sempre o lixo terá de ser o destino final de um produto que pode estar em perfeitas condições, apesar de expirado. Em todo o caso, para consumi-lo em segurança há factos que convém saber:
- Por regra, quanto mais reduzido é um prazo e mais específica a sua data de validade, menos margem haverá para o consumir depois.
- Em geral, quanto mais água e gordura tiver na sua composição, mais rapidamente um alimento se irá deteriorar e menos flexibilidade haverá no seu consumo para além do prazo.
- Mesmo dentro do prazo, um alimento pode deteriorar-se rapidamente se for sujeito a uma má manipulação ou conservação (calor ou contaminação).
- Qualquer embalagem que esteja estufada deve ser rejeitada já que este “inchaço” é um provável indício da existência de dióxido de carbono no interior, uma reacção que se dá quando há proliferação de microorganismos.

Iogurtes. Apesar de alguns especialistas afirmarem que estes alimentos podem ser consumidos um ou dois dias depois do prazo sem problemas, pessoalmente não acho boa ideia essa prática pois já pode existir jmultiplicação de microorganismos potencialmente perigosos como staphilococus ou mesmo salmonelas;
Leites. O de caixinha pode eventualmente ser consumido até alguns dias depois do prazo. Já no leite de saquinho a margem é bem menor e não convém ultrapassar o prazo indicado. O leite em pó, dura bastante tempo desde que não apanhe humidade e esteja numa embalagem fechada.
Queijos. Com o tempo costuma aparecer bolor que pode conter toxinas nocivas. Um ponto pequeno poderá ser retirado sem prejuízo, mas há sempre algum grau de perigo já que o bolor indicia sempre uma quebra da barreira biológica do alimento, o que permite a entrada de toxinas que podem estar presentes mesmo de forma não visível, à excepção dos queijos onde faz parte de sua formação o bolor. Assim, não vale a pena arriscar!
Sobremesas do tipo flan, mousse de chocolate. Não convém deixar passar o prazo já que são produtos processados e com muitos nutrientes, nomeadamente ovos, pelo que o risco de contaminação com staphilococus e salmonelas é grande.
Alimentos congelados. Em regra, quanto menos processado for o alimento mais tempo irá conservar-se sem alterações. Refeições prontas e gelados, por exemplo, têm mais elementos na composição o que os torna menos estáveis mas não perigosos. As gorduras poderão alterar-se e desenvolver-se algum sabor a ranço. Os alimentos congelados à saída da fábrica, sofrem uma congelação muito rápida que mantém os nutrientes intactos, e serão mais seguros do que os congelados em casa. Mas em qualquer caso, o elemento determinante é sempre a manutenção da cadeia de frio. Uma quebra nesta cadeia (seja no transporte para o supermercado ou para sua casa) diminui a margem de conservação. Sinais disto mesmo são a formação de cristais de gelo no interior ou a presença de humidade na embalagem de cartão. Deve ter-se em conta realmente o prazo de validade!
Molhos. Antes de abertos conservam-se bastante bem algumas semanas para além do prazo indicado, mas depois convém não arriscar.
Maionese. É um produto muito sensível e a sua conservação vai depender do cuidado que se tiver na manipulação. É fácil haver contaminação com staphilococus ou salmonelas. Por exemplo, basta um descuido com a colher que se usa para retirá-la do frasco. Por essa razão cuidado com o tempo que tem a maionese na geladeira depois de aberto.
ketchup. É mais ácido e por isso mais resistente. Pode durar um mês conservado no refrigerador, assim como a mostarda.
Molhos de tomate para cozinhar. São bastante sensíveis e podem criar fungos e bolores que produzem toxinas prejudiciais mesmo dentro do prazo. Mesmo que retire o bolor visível, é provável que haja mais microorganismos presentes pelo que não deve consumi-los depois do prazo..
Carne fresca. Pode deixar passar um ou dois dias se mantiver a cadeia de frio intacta e não houver sinais de alteração. No caso da carne picada não dê margem alguma, ao picar-se a carne quebra-se a sua barreira biológica, o que facilita o desenvolvimento de bactérias e permite a proliferação de micro organismos.
Embutidos frescos. Como os fiambres e mortadelas são produtos sensíveis, devem ser consumidos apenas dentro do prazo. Tenha especial atenção à formação de um biofilme de gordura no exterior, possível sinal de microorganismos que podem causar febres e diarreias ou até malformações do feto em grávidas.
Produtos defumados. São mais estáveis porque a fumagem destrói grande parte dos microorganismos e o sal que contêm também actua como conservante. Se vieram embalados em vácuo conservam-se bastante tempo e podem ser consumidos eventualmente alguns dias depois do prazo sem risco.Farinha. Pode durar anos sem que se estrague. Poderá eventualmente haver alteração da propriedade das leveduras, o que faz com que se torne menos eficaz a levedar um bolo ou a fazer pão.
Bolachas e tostas. Quando muito poderão ficar moles com o tempo, um sinal de migração de oxigénio para dentro da embalagem, mas em geral duram bastante tempo, especialmente se as embalagens não forem abertas.
Café e chá. Duram anos, sobretudo se estiverem hermeticamente fechados. Como são confeccionados com água a ferver o perigo de contaminação também é menor. Mas cuidado se cheirarem a mofo, é melhor não arriscar, é preferível deitar fora.
Chocolate de culinária. Pode durar indefinidamente, mesmo que perca algumas propriedades (costuma embranquecer) não apresentará perigo para a saúde. Enlatados. Duram anos, devendo apenas estar atenta a sinais da lata estufada ou outros danos nas latas. Neste caso, nem pensar em consumir.
Azeite. Aconselha-se o consumo no espaço de um ano, mas tudo depende da forma de acondicionamento. Deve sempre ser guardado no escuro já que a luz altera as suas propriedades. Se estiver exposto à luz no espaço de venda ou em casa poderá sofrer alterações. Cheiro a ranço é sempre um indicador disto mesmo.
Vinagre. Também dura bastante tempo e mesmo que perca qualidades não apresentará perigo para a saúde.
Sucos e refrigerantes. Sucos de fruta em garrafas de vidro não devem ser expostos pois a luz solar, pois degrada rapidamente a vitamina C, que contêm. Esta vitamina é um dos elementos conservantes, pelo que a sua degradação pode comprometer a conservação no tempo recomendado. Já os refrigerantes, duram mais tempo, ainda que possam perder propriedades comerciais.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

E QUE TAL TROCAR ALIMENTOS PELOS QUE MAIS VALEM A PENA ?

Ás vezes sem gastar muito e com pouco esforço podemos melhorar a nossa alimentação. Aqui vão algumas ideias com suas explicações.


Pão francês por integral
No café da manhã já podemos começar a proteger as artérias. A massa integral fornece ao organismo boas doses de fibras. Essas fibras servem de alimento a bactérias “boas” que moram no intestino. Bem alimentadas algumas dessas bactérias, fabricam mais propionato, uma substância que tem tudo a ver com os níveis de gordura na circulação sanguínea. Que ao chegar ao fígado, diminui a produção de colesterol.


Leite integral por desnatado
Vamos trocar o leite integral pelo desnatado, ou pelo menos o semidesnatado? A bebida desnatada tem o mesmo teor do mineral, com a vantagem de conter menos ácidos graxos saturados. O excesso desse tipo de gordura eleva os níveis de LDL (mau colesterol).

Cereais açucarados por aveia
A aveia é um dos cereais mais nutritivos do planeta e assim merece um espaço logo no café da manhã, ou na forma de flocos ou de mingau. A aveia é rica em betaglucanas, fibras fermentadas no intestino e capazes de regular o colesterol”.

Bauru por peito de peru e queijo branco
E que tal de vez enquanto fazermos esta troca? Não estou dizendo cortar com este lanche tradicional. O problema é que ele aumenta e muito as taxas de colesterol. Que tal substituí-lo por um sanduba de peito de peru e queijo branco? Que tal Experimentar? Mas cuidado é preciso ficar atento ao tamanho do lanche. Uma baguete recheada gigante, pode fornecer mais calorias e gorduras do que um bauru pequeno.

Pizza de mussarela pelas de vegetais
A ideia pode não agradar muito mas presta um enorme serviço aos vasos sanguíneos. Deixar camadas de queijo de lado de vez em quando, significa retirar gordura saturada do cardápio. Aquela que aumenta os níveis de LDL, o tipo perigoso do colesterol. Substituir a mussarela ou a quatro queijos pelas redondas cobertas de vegetais é uma saída para degustar pizzas sem receio. Como a pizza de escarola, de rúcula, de brócolis e até de abobrinha. Sem falar que elas oferecem alguns bônus: menos sal, fibras e antioxidantes.

Salgadinhos por castanhas
Que tal esta troca? Naquele momento em que pinta a fome no meio do dia? Uma solução fácil! Todos sabem que não é nada saudável, recorrer aos salgadinhos, biscoitos recheados. Petiscos que costumam contar com gordura trans em sua receita. Sabiam, que esta gordura não só faz aumentar o LDL (mau colesterol) como ainda contribui para derrubar o HDL(bom colesterol)? Então vamos apostar nas castanhas e nas nozes , esses que contêm gordura monoinsaturada (que faz exatamente o trabalho oposto da trans) e ainda são fontes de antioxidantes.
Só ter cuidado com a quantidade, não é, gente?

Picanha por lombo
O porco não é mais gordo que o boi nem o boi é mais gordo que o porco, tudo é uma questão de corte. Há peças bovinas com menos gordura saturada, caso da alcatra e do filé mignon, e há aquelas parrudas, como a picanha e o cupim. O mesmo raciocínio se aplica à carne suína: o lombo é mais magro que o pernil. De qualquer forma deve sempre limpar a peça antes de cozinhá-la, retirando toda gordura aparente, pois apesar de não vermos altas doses de gordura já estão emaranhadas na carne.

Compota de frutas em vez de Quindim
Os doces costumam ser condenados por conterem demasiado açúcar. Porém, o açúcar pesa menos do que outro ingrediente comum em quindins, brigadeiros e bolos, a gordura. A manteiga, o creme de leite e outros ingredientes gordurosos que dão consistência aos quitutes conêm ácidos graxos saturados, que fazem subir as taxas de LDL. Assim que tal mais uma troca? O quindim pelas compotas de frutas. Só não vale, abusar, é claro!

Chá de ervas por chá-mate
Nada contra a receita da vovó, mas as infusões à base de camomila e afins perdem feio para o mate se o assunto é colesterol. .A proeza vem das saponinas, moléculas presentes no mate. Elas diminuem a absorção do colesterol no intestino, favorecendo sua excreção pelas fezes.

Cebola branca por cebola roxa
Essa troca pode ser estendida à alface e ao repolho, assim prefira sempre o roxo. As hortaliças com essa cor abrigam um pigmento que reduz o colesterol, a antocianina. A substância inibe uma enzima que participa da síntese de colesterol no fígado, além de aumentar sua eliminação do organismo. Importante lembrar que morangos e cerejas, são também reservas de antocianinas.

Camarão por peixe
É verdade que frutos do mar não são tão frequentes no prato do brasileiro. Mas de qualquer forma convem ficar atento durante aquela viagem à praia para não se encher de camarões. Eles encabeçam o ranking marinho de colesterol, são 152 miligramas da gordura em uma porção de 100 gramas. Ou seja, quase o triplo do que é oferecido pela mesma quantidade de um peixe gordo como o salmão. Esse pescado se sai melhor também por outro motivo, ele estará carregado de ômega-3, que diminui a captação de LDL pela parede das artérias, prevenindo as placas.

Molho branco pelo de tomate
Neste caso o macarrão é o mais inocente por aqui. Quem incentiva ou não o aumento do colesterol, é o molho, sempre! O branco é bem gordo, em 2 colheres de sopa encontramos 4,5 gramas de gordura. Como o preparo exige creme de leite e queijo, o prato fica cheio de ácidos graxos saturados. Uma bela macarronada ao sugo não tem esse perigo. Nas mesmas 2 colheres de sopa, há somente 0,1 grama de gordura. Apenas, como dica, procure usar o molho de tomate feito em casa, apesar do maior trabalho que dá, mas assim pode evitar a manteiga no momento de refogá-lo. Se possível, opte pela massa integral.

Chocolate ao leite pelo amargo
O doce de cacau se notabilizou como um amigo do sistema circulatório. Mas não é todo chocolate que, de fato, prova sua amizade às nossas artérias. O tipo que merece respeito é o amargo. Ele possui menos gorduras saturadas que o branco e a versão ao leite. Sem falar que fornece catequinas, substâncias que ajudam a sequestrar o LDL e impedir sua oxidação. Mas fique atento ao rótulo: amargo de verdade tem mais de 60% de cacau em sua composição.

Sal por ervas e alho
Está em suas mãos uma maneira de preservar os seus vasos sanguíneos sem deixar a comida ficar insossa. Em vez de exagerar no sal, que promove a hipertensão, pode abusar da imaginação, das ervas aromáticas, Por exemplo o alho, que tem compostos capazes de controlar o colesterol. Ervas como o orégano e o alecrim tem compostos que atuam contra a oxidação, quer dizer contra o envelhecimento. Mas importante lembrar que essa ação pode diminuir quando os ingredientes são expostos a temperaturas elevadas, assim tente acrescentá-los nos minutos finais do cozimento.Frango com pele pelo frango sem pele
A maior parte das pessoas pensam que basta retirar a pele de uma coxa de frango assada no prato para se livrar do mau colesterol. Mas se enganam redondamente. Aí, é tarde…
Retirar a pele é, sim, fundamental, mas isso deve ser feito antes de levar a carne ao fogo. Quando submetidos ao calor, a gordura saturada e o colesterol da pele conseguem se dissolver e penetrar na carne.

Pipoca de micro-ondas pela de panela
Faz toda a diferença investir o nosso tempo para estourar o milho no fogão. É uma boa forma de controlar a quantidade de gordura no preparo, porque no produto de micro-ondas ela já é fixa. A versão que ganha na praticidade perde pontos porque carrega ácidos graxos saturados e trans. Na panela, dá para usar um óleo mais saudável, como o de canola. Daí, você aproveita as fibras do milho, deixando seu colesterol em paz.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Já devem ter notado que sou completamente adepta de sopas , cremes e afins. Para vocês que sempre buscam novas receitas ...espero que gostem. Bem .... embora algumas não sejam tão simples de preparar,com cuidado tudo se consegue.


Bom apetite !

Caldo de mandioca com calabresa

Ingredientes
400 grama(s) de mandioca(s) fresca(s)
1 colher(es) de sopa de óleo de milho
3 linguiça(s) calabresa(s) 1 cebola(s) média(s)
3 dente(s) de alho
1 colher(es) de sopa de colorau
5 xícara(s) de chá de água
2 tablete(s) de caldo de carne
1 colher(es) de chá de molho de tabasco
150 grama(s) de queijo de minas meia-cura

Modo de Preparo


1. descascar 400 grama(s) de mandioca(s) fresca(s, lavar e colocar para cozinhar com água e sal na panela de pressão por 15 minutos, escorrer e passar pelo espremedor e reservar.
2. em uma panela colocar 1 colher(es) de sopa de óleo de milho, 3 linguiça(s) calabresa(s) cortadas em rodelas, deixar fritar, acrescentar 1 cebola(s) média(s) picada, 3 dente(s) de alho picados, deixar dourar, juntar 1 colher(es) de sopa de colorau e deixar fritar por mais 3 minutos, acrescentar 5 xícara(s) de chá de água, 2 tablete(s) de caldo de carne e 1 colher(es) de chá de molho de tabasco e a mandioca passada pelo espremedor deixar ferver por mais 5 minutos.
3. acrescentar 150 grama(s) de queijo de minas meia-cura ralado mexer até formar um caldo grosso.
4. servir em seguida.

Creme de abóbora

Ingredientes
200 grama(s) de carne seca magra (Colocar de molho )
4 mini abóbora(s)
1 colher(es) de sopa de azeite de oliva
1 cebola(s) média(s)
2 xícara(s) de chá de abóbora(s) japonesa
4 xícara(s) de chá de água
2 tablete(s) de caldo de galinha
1 xícara(s) de chá de requeijão

Modo de Preparo
1. colocar de molho 200 grama(s) de carne seca magra de um dia para o outro, trocando a água por várias vezes. Iniciar o preparo
2. no dia seguinte colocar a carne seca para cozinhar na panela de pressão com água por 20 minutos aproximadamente, desfiar e reservar.
3. retirar as sementes de 4 mini abóbora(s) levá-las ao micro-ondas por aproximadamente 2 minutos, ou até que as abóboras estejam cozidas. reservar.
4. em outra panela colocar 1 colher(es) de sopa de azeite de oliva e dourar 1 cebola(s) média(s) picada, 2 xícara(s) de chá de abóbora(s) japonesa picada, 4 xícara(s) de chá de água e 2 tablete(s) de caldo de galinha deixar ferver até que a abóbora esteja macia aproximadamente 30 minutos.
5. esperar amornar, colocar no copo do liquidificador e bater para formar um creme, voltar para panela acrescentar a carne desfiada, 1 xícara(s) de chá de requeijão e deixar ferver por mais 2 minutos, transferir para as mini abóboras.
6. servir em seguida.
dica

- colocar as mini abóboras no micro-ondas de 1 em 1 minuto para não ter perigo de queimar.
- faça esta sopa uma primeira vez, e acerte sua consistência de acordo com o gosto de sua família colocando mais água no caldo de galinha, se for o caso. assim a sopa ficará mais rala.


Creme de funghi com massa folhada

Ingredientes
1 xícara(s) de chá de funghi seco
2 colher(es) de sopa de manteiga
1 cebola(s) média(s)
11 cogumelo(s) fresco(s) shitake
2 colher(es) de sopa de farinha de trigo
5 colher(es) de chá de vinho branco seco
1 tablete(s) de caldo de carne
1 xícara(s) de chá de água
1 xícara(s) de chá de creme de leite
2 colher(es) de sopa de queijo parmesão ralado
1 colher(es) de chá de sal
200 grama(s) de massa folhada
1 ovo(s)

Modo de Preparo
1. em uma tigela colocar 1 xícara(s) de chá de funghi seco para hidratar em uma xícara de água fria. reservar.
2. na panela colocar 2 colher(es) de sopa de manteiga, dourar 1 cebola(s) média(s) picada(s) e juntar o funghi picado e (já hidratado na água fria) escorrido reservar a água, picar 11 cogumelo(s) fresco(s) shitake. misturar 2 colher(es) de sopa de farinha de trigo e mexer bem.
3. acrescentar 5 colher(es) de chá de vinho branco seco, 1 tablete(s) de caldo de carne dissolvido em 1 xícara(s) de chá de água. juntar a água do funghi até ficar um creme encorpado.
4. colocar o caldo de carne aos poucos, pode ser que nem precise usar tudo.
5. juntar 1 xícara(s) de chá de creme de leite , 2 colher(es) de sopa de queijo parmesão ralado e 1 colher(es) de chá de sal, deixar esfriar um pouco e colocar o creme em cumbucas que possa ir ao forno.
6. cobrir as cumbucas dividindo 200 grama(s) de massa folhada cortada em rodelas, passar um pouco de 1 ovo(s) batido nas bordas para a massa grudar.
7. levar ao forno quente por 10 minutos ou até a massa crescer como um suflê.
8. servir em seguida.

Sopa de couve-flor

Ingredientes
20 buquê(s) de couve-flor
2 xícara(s) de chá de água
3 colher(es) de sopa de manteiga
2 cebola(s) média(s)
3 colher(es) de sopa de farinha de trigo
4 xícara(s) de chá de leite
1 ½ tablete(s) de caldo de legumes
1 colher(es) de chá de molho de tabasco
2 colher(es) de sopa de salsinha
2 colher(es) de sopa de cebolinha

Modo de Preparo


1. lavar 20 buquê(s) buquê(s) de couve-flor e colocar para cozinhar na panela de pressão com 2 xícara(s) de chá de água por 3 minutos. reservar a couve-flor e a água.
2. em uma panela colocar 3 colher(es) de sopa de manteiga, dourar 2 cebola(s) média(s) picadas, juntar 3 colher(es) de sopa de farinha de trigo (ver dica), retirar a panela do fogo e ir colocando 4 xícara(s) de chá de leite aos poucos para não empelotar (o ideal é misturar o leite com um batedor), voltar a panela ao fogo e deixar ferver por 10 minutos.
3. acrescentar a água reservada, a couve-flor bem picada, 1 ½ tablete(s) de caldo de legumes, 1 colher(es) de chá de molho de tabasco deixar ferver por 5 minutos.
4. por ultimo juntar 2 colher(es) de sopa de salsinha e 2 colher(es) de sopa de cebolinha picadas, desligar o fogo e esperar 10 minutos para servir.
dica:
- colher de sopa: usar a colher de sopa da medida. encher a colher com o ingrediente. passar uma faca em cima para tirar o excesso do ingrediente. a medida ficará justa.
- a sopa fica com um sabor muito especial se você pingar algumas gotas de limão no fundo do prato.

Sopa de frango com capelete

Ingredientes



  • Retirar Frango do Freezer
2 coxa(s) e sobrecoxa(s) Temperar



  • Temperar
1 colher(es) de chá de páprica picante
1 folha(s) de louro 1 limão(es)
1 cebola(s) média(s)
1 pimenta(s) vermelha(s) dedo-de-moça
4 ramo(s) de cheiro-verde
1 colher(es) de chá de sal
1 talo(s) de salsão



  • Iniciar o Preparo
1 tablete(s) de caldo de galinha
10 xícara(s) de chá de água
2 colher(es) de sopa de óleo de canola
1 colher(es) de sopa de manteiga
3 tomate(s) médio(s)
500 grama(s) de capeletti fresco
1 colher(es) de chá de sal 1 colher(es) de sopa de salsinha

Modo de Preparo



  • Retirar Frango do Freezer e colocar na geladeira


2 coxa(s) e sobrecoxa(s)




  • Temperar


1. lavar bem as coxas e sobrecoxas, esfregar a metade de 1 limão(es), lavar novamente e deixar escorrer.
2. ralar 1 cebola(s) média(s) e passar na peneira.
3. em uma vasilha, colocar o frango, a cebola passada na peneira, em colheradas, a outra metade do limão espremido, 1 pimenta(s) vermelha(s) dedo-de-moça (ver dica), 1 de louro, 4 ramo(s) de cheiro-verde amarrados, 1 colher(es) de chá de sal, 1 colher(es) de chá de páprica picante e 1 talo(s) de salsão cortado(s) em pedaços.
4. deixar descansar neste tempero por 1 hora.




  • Iniciar o Preparo


1. dissolver 1 tablete(s) de caldo de galinha em 10 xícara(s) de chá de água e reservar.
2. em uma panela colocar 2 colher(es) de sopa de óleo de canola e 1 colher(es) de sopa de manteiga (ver dica). quando esquentar, colocar os pedaços de frango com os temperos, e deixar refogar.
3. acrescentar 3 tomate(s) médio(s) maduro(s) sem pele (ver dica) e sem sementes. quando os tomates estiverem desfeitos, juntar um pouco do caldo de galinha reservado.
4. deixar cozinhar por 1 hora aproximadamente.
5. retirar o frango, desfiar os pedaços tirando bem os nervos e as peles. colocar este frango em uma panelinha pequena e cobrir com um pouco de caldo.
6. na panela em que o frango foi cozido, colocar o restante do caldo de galinha reservado e os ossos. deixar levantar fervura. abaixar o fogo e cozinhar por 10 minutos. coar este caldo em uma peneira fina, voltar à panela e acrescentar 500 grama(s) de capeletti fresco e 1 colher(es) de chá de sal, deixar levantar fervura, cozinhar de 7 a 8 minutos aproximadamente. o capeletti deve ficar al dente (ver dica).
7. se você quiser servir esta sopa com os pedaços de frango, esta é a hora de colocá-los. se não quiser, guarde o frango para pôr em uma salada no dia seguinte ou fazer um croquete etc.
8. colocar na sopeira, mexer bem, salpicar 1 colher(es) de sopa de salsinha picada e servir em seguida.
dicas
pimenta: se quiser um prato mais apimentado, é só amassar a pimenta usada no tempero. se quiser só um sabor de pimenta, deixe-a inteira. quanto mais amassar, mais apimentado fica.
al dente: é quando não fica nem mole e nem duro ao morder, oferece resistência.



Sopa de abóbora



Ingredientes




  • Iniciar o Preparo


1 xícara(s) de chá de croutons



6 xícara(s) de chá de água



2 dente(s) de alho



1 colher(es) de sopa de ervas finas



1 noz-moscada em grão



1 colher(es) de chá de sal



800 grama(s) de abóbora(s)



1/2 lata(s) de creme de leite.



1/2 tablete(s) de caldo de carne



2 colher(es) de sopa de manteiga



1 ½ cebola(s) média(s)



1 colher(es) de chá de açúcar mascavo



Modo de Preparo



1. dissolver 1/2 tablete(s) de caldo de carne em 6 xícara(s) de chá de água fervente e reservar.
2. em uma panela colocar 2 colher(es) de sopa de manteiga, 1 ½ cebola(s) média(s) ralada(s) e 2 dente(s) de alho espremido(s) e deixar dourar. adicionar 1 colher(es) de sopa de ervas finas, 1 colher(es) de chá de açúcar mascavo, apenas duas raladinhas de 1 noz-moscada em grão e 1 colher(es) de chá de sal. reservar.
3. descascar e retirar as sementes de 800 grama(s) de abóbora(s) e picar em pedaços.
4. adicionar ao refogado reservado, deixar cozinhar um pouco amassando com um garfo. colocar o caldo de carne reservado e deixar cozinhar até amolecer bem.
5. bater no liquidificador e voltar à panela para cozinhar até engrossar.
6. acrescentar 1/2 lata(s) de creme de leite sem soro, mexer bem (opcional).
7. servir bem quente com 1 xícara(s) de chá de croutons.
dica
se quiser uma sopa light, não coloque o creme de leite.




Caldo verde

Ingredientes

  • Iniciar o preparo

2 colher(es) de sopa de azeite de oliva

1 cebola(s) média(s)

2 dente(s) de alho

2 paio(s)

1 litro(s) de água

7 batata(s) média(s)

1 colher(es) de chá de sal

5 folha(s) de couve

Modo de Preparo

1. em uma panela colocar 2 colher(es) de sopa de azeite de oliva, 1 cebola(s) média(s) picada(s), 2 dente(s) de alho amassado(s) e 2 paio(s) cortado(s) em rodela(s) deixar refogar por aproximadamente 3 minutos.
2. acrescentar 1 litro(s) de água e quando estiver fervendo juntar 7 batata(s) média(s) cortada(s) em rodela(s).
3. quando as batatas estiverem bem cozidas, retirá-la s com o auxílio de uma espumadeira, sem jogar a água fora, em seguida amassar no espremedor de batatas, colocar de volta na água, temperar com 1 colher(es) de chá de sal, colocar 5 folha(s) de couve picada(s) e deixar ferver por mais 10 minutos aproximadamente.
4. deixar descansar por 10 minutos antes de servir.
dica:
- cortar a couve bem fininha para ficar com apresentação do prato mais bonita.



Sopa de almôndegas



Ingredientes

  • Retirar Carne do Freezer

200 grama(s) de carne moída 250 grama(s) de músculo

  • Iniciar o Preparo

2 colher(es) de sopa de óleo de canola

3 dente(s) de alho

4 xícara(s) de chá de água

1 colher(es) de chá de sal

1 cebola(s) média(s)

4 ramo(s) de cheiro-verde

  • Preparar Almôndegas

2 pão(es) do tipo francês claro(s)

1 ovo(s) 1 cebola(s) pequena(s)

2 colher(es) de sopa de salsinha

1 colher(es) de chá de sal

3 colher(es) de sopa de farinha de rosca

  • Preparar os Legumes

1 cenoura(s) média(s)



1 alho(s)-poró(s)

6 colher(es) de sopa de queijo parmesão ralado

4 xícara(s) de chá de água

1 colher(es) de sopa de manteiga

Modo de Preparo

  • Retirar Carne do Freezer e colocar na geladeira

200 grama(s) de carne moida e 250 grama(s) de músculo.

  • Iniciar o Preparo

1. em uma panela de pressão colocar 2 colher(es) de sopa de óleo de canola, 1 de cebola(s) média(s) ralada(s), 3 dente(s) alho espremidos, 4 ramo(s) de cheiro-verde amarrados e o músculo cortado em cubos e deixar dourar bem. acrescentar 4 xícara(s) de chá de água e 1 colher(es) de chá de sal, deixar ferver por 25 minutos aproximadamente até o músculo amolecer, coar em um pano bem fino e reservar. Preparar Almôndegas 1. retirar casquinha de 2 pão(es) do tipo francês claro(s), picar o miolo e colocar de molho, por meia hora, em um pouco de água.
2. passar a carne moída no processador de alimentos para moer mais de uma vez.
3. colocar em uma tigela, acrescentar a(s) gema(s) de 1 ovo(s), 1 cebola(s) pequena(s) ralada(s), 2 colher(es) de sopa de salsinha picada, 1 colher(es) de chá de sal, 3 colher(es) de sopa de farinha de rosca e o pão francês que estava de molho (espremer bem o pão para sair toda a água).
4. misturar bem e, com a mão úmida, fazer bolinhas até terminar a massa.
5. em uma panela colocar um pouco de água para ferver, diminuir o fogo e despejar as bolinhas e deixar cozinhar por 10 minutos aproximadamente.
6. com uma escumadeira, retirar e reservar.

  • Preparar os Legumes

1. em outra panela colocar 1 cenoura(s) média(s) cortada(s) em palitos, 1 alho(s) poró(s) aparado(s) e picado(s), 1 colher(es) de sopa de manteiga e o caldo de carne reservado. acrescentar 4 xícara(s) de chá de água, mexer bem, tampar e deixar cozinhar em fogo médio por 10 minutos aproximadamente, retirar os legumes cozidos.
2. deixar só o caldo bem coado e esquentar bem. acrescentar as almôndegas e deixar cozinhar por mais 5 minutos aproximadamente, até que estejam bem quentes.
3. colocar em uma sopeira, polvilhar um pouco das 6 colher(es) de sopa de queijo parmesão ralado, enfeitar com ramos de salsinha, reservar o restante do queijo para servir à parte.
4. servir em seguida.
dicas
se quiser usar os legumes, é só passar na manteiga e servir à parte.o músculo pode ser usado para fazer uma salada.atenção: se não tiver tempo, em vez de fazer o caldo de carne caseiro (como na receita), dissolver 1 ½ tablete de caldo de carne em 6 xícaras de água fervente.



Sopa de cenoura e curry

Ingredientes
3 batata(s) média(s)
1 cebola(s) média(s)
1 pitada(s) de gengibre em pó
1/2 limão(es)
1/2 colher(es) de chá de tomilho seco
5 cenoura(s) média(s)
2 colher(es) de sopa de óleo de canola
2 dente(s) de alho
/2 colher(es) de chá de curry em pó
1 ½ colher(es) de chá de sal
1 colher(es) de chá de molho inglês
2 colher(es) de sopa de salsinha

Modo de Preparo


1. raspar e lavar bem 5 cenoura(s) média(s), picar em rodelas, descascar 3 batata(s) média(s) e picar em rodelas. reservar.
2. em uma panela grande colocar 2 colher(es) de sopa de óleo de canola, 1 cebola(s) média(s) picada(s), 2 dente(s) de alho picado(s), deixar dourar.
3. acrescentar as cenouras e as batatas reservadas, colocar a metade de 1/2 colher(es) de chá de curry em pó (ver dica) e 1 pitada(s) de gengibre em pó, cozinhar cobertos com água fervente por 20 a 30 minutos aproximadamente.
4. retirar do fogo, deixar amornar e bater no liquidificador com a água do cozimento.
5. voltar ao fogo com o restante do curry, adicionar 1/2 limão(es) espremido, 1/2 colher(es) de chá de tomilho seco, 1 ½ colher(es) de chá de sal e 1 colher(es) de chá de molho inglês, deixar ferver por 15 minutos aproximadamente.
6. servir imediatamente com uma rodela de limão bem fina e 2 colher(es) de sopa de salsinha picada por cima.
dica
colher de chá: usar a colher de chá da medida sos. encher a colher com o ingrediente. passar uma faca em cima para tirar o excesso do ingrediente
. a medida ficará justa.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

FACAS REUNIÃO...uma simplicidade maravilhosa !


Meus queridos leitores, quando vi estas facas ..pensei:

Vou escrever para Papai Noel....eheheheh..

olhem só que beleza !!!!


Deglon é conhecido pelo seu espírito inovador. Em 2006, juntou novos designers que estudavam na escola nacional de artes visuais em Bruxelas para criar um projeto inovador da “facas design”, para a famosa premiação de Cutelaria de Projeto Design Europeia. Mia Schmallenbach e Deglon gastaram á volta de 150 horas para anexar o jogo altamente visual, com a praticidade no bloco de facas, intitulado “reunião” que veio a ganhar o primeiro prêmio.
O jogo da “faca da reunião” de Deglon vem com 4 facas para utilidades diferentes. Feitas em aço inoxidável, reuniu e combinou, beleza e praticidade.
Moradores de pequenos apartamentos e não só, que adoram aliar a cozinha ao bom gosto de um belo design, delirem: essas facas se encaixam uma sobre a outra, com proporções dentro dos padrões da sequência de Fibonacci.

Disponível longe de você ….pelo valor módico de 915 dólares.

domingo, 6 de junho de 2010

COMFORT FOOD:


COMIDAS QUE LEMBRAM BONS MOMENTOS E PROPORCIONAM BEM ESTAR!


Desde há algum tempo que as pessoas se preocupam com a alimentação. Mas é sabido que mesmo quem possui uma grande força de vontade e determinação para manter uma vida saudável, às vezes deixa as emoções e desejos tomarem conta do equilíbrio em busca de prazeres.
Sendo os alimentos uma das mais frequentes fontes de prazer, é neles que encontramos muitas vezes o conforto, a tranquilidade e o bem estar que tanto precisam diante da vida stressante de hoje.

Quais serão os alimentos mais desejados e porque seriam eles os escolhidos para saciarem toda essa ansiedade, angústia, tristeza, medo, estresse da modernidade?

As emoções influem diretamente em nosso corpo e cérebro. A partir disso, entende-se que buscamos sempre algo que nos equilibre e reconforte, seja pelo exercício, música, artes, na natureza...mas, o mais procurado é o alimento, a comida que nos preenche e nos acalma, que nos traz conforto. Em situação de grande ansiedade e solidão, a busca por alimento é instintiva.
O ato de comer preenche espaços, inclusive no coração, matando a saudade e a tristeza. Esses são os chamados comfort food. A vontade do sorvete, por exemplo, pode significar o desejo da liberdade que possuía quando criança, dos dias de passear no parque. Nesse caso, a atenção deve ser redobrada porque o alimento da alma, nem sempre é bom para o corpo, principalmente quando recheados de gorduras e açúcares simples, consequentemente calóricos, influenciando de forma negativa na alimentação saudável.
Ao ingerir um alimento que nos lembre da infância, podemos até sentir a paz e tranquilidade de que precisamos, mas também pode trazer sérios prejuízos à dieta, caso seja consumido rotineiramente, como a obesidade abdominal o que pode levar a doenças cardiovasculares, diabetes tipo II e acidente vascular cerebral, doenças cardiovasculares, pois sabemos que nem sempre são alimentos saudáveis, depende do passado e da memória gustativa de cada um. Docinhos, salgadinhos, bolachas e outras guloseimas podem ser comfort food ! Como também, a lasanha, a torta de morango ou mesmo a banana com aveia e mel.
Evolutivamente, o instinto humano de comer alimentos que propiciam conforto faz sentido. No reino animal, o mundo normal é comer ou ser comido, e um corpo sob essa constante ou crónica situação de stress opta por comer alimentos de alta energia para se manter no jogo. É, por essa analogia, que explica o comportamento do ser humano na vida moderna quando somos constantemente gladiadores do tempo, dinheiro, sucesso, felicidade, realizações, metas,...
A utilização das comfort foods pode explicar porque é extremamente difícil perder peso, pois o fato de a maioria das pessoas desejarem emagrecer já é estressante literalmente, o que faz uma pessoa se sentir ansiosa e os harmónios do stress acabam fazendo com que a pessoa sinta necessidade cada vez mais de alimentos que lhe tragam a sensação de bem estar e tranquilidade. Estes alimentos que proporcionam a sensação de conforto através das emoções a que nos remetem são consumidos na maior parte durante os períodos de incerteza social e crises.
Neste aspecto a Nutrição destaca-se por não proibir ou eliminar estes alimentos que de certa forma oferecem bem estar aos indivíduos, mas orientar quanto, como e quando devem ser ingeridos e até mesmo adequações que possam a ser feitas, de maneira a torná-los talvez mais saudáveis .O consumo do comfort food deve ser direcionado para alimentos mais funcionais e naturais, oferecendo assim bem-estar e melhor qualidade de vida, com todo o prazer contemplado. Importante lembrar que, atualmente, o aumento da incidência de doenças coronárias, pressão arterial, obesidade e outras, estão ligadas à má alimentação dia a dia e não pelo esporádico e equilibrado de preparações e/ou alimentos tão importantes na vida de cada um.

ALIMENTAÇÃO NO INVERNO


Meus queridos leitores, de certo já repararam que no Inverno e seu friozinho, ficamos com mais fome !? E pior que isso, a preguiça para as atividades físicas também surge e as comidas calóricas se tornam muito tentadoras. Paralelamente nesta época ocorre uma diminuição na produção de serotonina, um neurotransmissor que provoca a sensação de bem-estar, e que no inverno, diminui. Para suprir esta sensação de tristeza, depressão e desânimo é que a maioria acaba compensando com os alimentos.
O inverno pode ser lindo, aconchegante, charmoso, mas também alguns perigos parecem estar presentes. com os alimentos altamente calóricos consumidos com a “desculpa” que nos ajudar a aquecer, como os fondues de queijo, chocolate, bolos, molhos à base de cremes, bebidas alcoólicas ou mais cremosas, massas com queijos fumegantes.... Desta forma, é essencial conseguir saber trocar aquele doce e espesso chocolate quente pelo conforto de um mesmo achocolatado, porém com menos calorias ou até mesmo com um chá quente. É que além de resultar em kilos a mais, o mais perigoso são os prejuízos à saúde. Não é só importante mencionar as calorias a mais ingeridas no inverno, mas se estes excessos durarem pode ocasionar o aumento de gordura corporal, alterações nos níveis de colesterol, triglicérides, glicemia e inclusive elevação da pressão arterial, representando assim maiores riscos de problemas cardiovasculares.
Além de aumentar nosso apetite, sabe-se que o gasto energético nessa época do ano também é maior pois o organismo se esforça mais para manter a temperatura corporal normal, mas este esforço a mais do organismo não chega a 10% do gasto diário de calorias para ativar mais o metabolismo a ponto de equilibrar a temperatura corporal. Assim, sinto muito informar, mas o inverno não é desculpa para exagerar nos doces, queijos, massas nem para aposentar a salada. Para que isso não aconteça, é importante não abandonar os legumes nesta época do ano, pois há formas deliciosas de consumi-los . Em forma de omeletes, sanduíches, sopas, cozidos e refogados!
As frutas não podem ser simplesmente banidas nesta época bem pelo contrário, deve existir a ingestão de 5 porções de frutas por dia. Lembrem que a vitamina C, por exemplo ajuda na prevenção de gripes, lembram? As porções diárias recomendadas continuam as mesmas nessa época do ano: três a cinco porções de frutas e, três porções de verduras e/ou legumes.
Muito importante também o consumo de bastante líquido (8 a 10 copos ao dia).

TODOS OS DIAS EM GUERRA

Todos os dias o nosso organismo enfrenta uma batalha contra vários ataques como:
  • stress,
  • poluição,
  • agrotóxicos,
  • excesso de atividades físicas,
  • contato com grandes cargas de vírus,
  • bactérias.

Neste meio, um dos sistemas mais importante, necessário e requisitado é o imunológico. Este, funciona como um exército, no qual os soldados que são os anticorpos e os radicais livres terão forças ou não de contra ataque, dependendo das condições em que nos encontramos. No caso do ataque ser maior que as condições de defesa, o inimigo terá condições de se proliferar e vencer, causando então várias patologias, desde simples gripes até doenças como uma pneumonia.
A melhor maneira de ser armar é enriquecer a alimentação com alimentos que além de nos nutrir tenham também propriedades funcionais que estimulem nosso sistema de defesa, ou seja, apostar em alimentos ricos em substâncias chamadas de antioxidantes que combatem prontamente o aumento de radicais livres nestas situações de ataques.
Os principais antioxidantes são as Vitaminas A, C, E além de minerais como selênio, zinco. A Vitamina D, diz-se ser essencial para um sistema imunológico fortalecido. A deficiência desta vitamina pode desequilibrar nosso sistema imune. Uma boa defesa deve conter também substâncias ativas, como: bioflavonóides, licopeno, catequinas, isoflavonas.

E onde podemos achar este exército de antioxidantes?

Pois é minha gente, na vossa própria geladeira!
Os alimentos são as principais fontes de antioxidantes. A variedade hoje em dia é imensa. Além disso os alimentos ricos em antioxidantes são saborosos, muito melhor que ingerí-los apenas via medicamento.

  • A Vitamina C, pode ser encontrada nas Frutas cítricas e vegetais verdes escuros, como a laranja, limão, acerola, kiwi, couve, brócolis.
  • A Vitamina A, na Abóbora, cenoura, manga, brócolis, fígado, damasco e batata doce.
  • A Vitamina E, podemos encontrar no germe de trigo,óleo de soja, arroz, milho , nozes, gema de ovo.
  • A Vitamina D, na manteiga, óleos vegetais ( como girassol, milho, canola), gema de ovo.
  • O Selênio, na Castanha do Pará,
  • O Zinco, nas carnes peixes, cerais integrais, feijões, nozes.
  • Os Bioflavonoides, nas frutas cítrica, vermelhas e vegetais verdes escuros, uvas, limão, espinafre.
  • O Licopeno, nas frutas e legumes vermelhos, tomate, goiaba vermelha, caqui.
  • As Isoflavonas, na soja e seus derivados.
  • As Catequinas, podemos encontras no chá verde.


    Mas é também importante lembrar que o mel, contém flavonóides e compostos fenólicos, que são poderosos antioxidantes. O Própolis, contém alto teor de flavonoides, com ação antimicrobiana, antiviral e antioxidante. A geléia Real, contém todos os aminoácidos essenciais, vitaminas do complexo B, além de cálcio, cobre, ferro, fósforo, Vitaminas D, E C. O alho, contém como substância ativa a alicina que tem ação anti-infecciosa, antiinflamatória. Os cogumelos, principalmente shitake (lentinan), o maitake e o “cogumelo do sol” (Agaricus blazei). O cogumelo shiitake possui pequenas quantidades de um polissacarídeo chamado lentinan, responsável por estimular a produção de células de defesa, fortificando o organismo e ativando consequentemente o sistema imunológico. O cogumelo Agaricus blazei possui componentes que estimulam a produção de novas células de defesa do organismo. Por último, o cogumelo maitake que possui um polissacarídeo chamado betaglucan que também possuem a propriedade estimulante do sistema imunológico.